Águas rasas estreou no dia 26 de agosto como um daqueles filme de tirar o fôlego, e isso quase literalmente.

É preciso, antes de tudo, dar uma salva de palmas à excelente atuação de Blake Lively. Além disso, quem torcia o nariz para a atriz de ‘Gossip Girl’ teve uma surpresa ainda maior: a queridinha levou o filme nas costas, ficando o tempo quase todo sozinha na tela. Se em ‘Náufrago’ temos Tom Hanks estrelando um filme espetacular, no longa de Jaume Collet-Serra temos Lively e a gaivota. Nosso parabéns às duas.

Para completar o deleite, temos uma fotografia incrível, cenário muito bem explorado, roteiro enxuto e cativante e um tubarão que – sim!! – dá medo. O mais incrível é o áudio: quando dentro do água, o som muda fica bem abafado, como se o espectador estivesse dentro da água mesmo. Essa foi uma das melhores sacadas para dar a noção de profundidade. Mais um parabéns à equipe.

Falando em tubarão, a trama do filme é construída basicamente em cima da luta de Nancy (a protagonista vivida por Blake Lively) contra o tal. Depois de perder a mãe, a surfista abandona a faculdade de Medicina e cai na aventura de viajar para o México, atrás da praia paradisíaca em que sua falecida mãe visitou quando estava grávida dela.

É aí que o mar se torna traiçoeiro. Atacada pelo tubarão branco, a ex-estudante de Medicina luta pela sobrevivência usando tudo que aprendeu na faculdade.

A forma como o diretor trabalha a personalidade de Nancy é evidente: através de recortes do passado e fotos no celular, é possível ter uma noção da vida pregressa da protagonista, bem como entender porquê tudo aquilo está acontecendo, preparando sempre o espectador para o ataque vindouro.

O longa traz acontecimentos que não extrapolam por completo a realidade. De certo, vários dos eventos contados poderiam ser vividos por qualquer aventureiro no mar, o que não é ruim. Mas como filme, claro que deve ter um final que, aliás, foi um pouco forçado.

Apesar de entregar muito de seu teor nos clipes e trailers, o filme cumpre o papel a que se propõe: aterrorizar – e muito – em seus 87 minutos. As cenas de suspense e terror vão ficar na sua mente por muito tempo – principalmente quando entrar no mar de novo.