0

Vou logo avisando que a “crítica” a seguir é de um fã que esperou anos (!!) por este filme. Então, pega leve 🙂

Quem acompanhou Harry Potter desde pequeno ou mesmo quem assistiu os filmes depois de a saga ter terminado (tsc!) sabe que existe todo um mundo que envolve o bruxo mais famoso da Terra. Além de todas as poções, feitiços, segredos e nomes importantes que todo fã sabe decor, existem seres extraordinários, criados especialmente para a enriquecer e dar um toque de realismo e exclusividade à narrativa bruxa. Estes são os famosos Animais Fantásticos, tema do mais novo roteiro de J.K. Rowling.

A história se passa anos antes de Harry Potter e é focada na comunidade bruxa de Nova York. Além de um cultura diferente, NY tem uma série de leis tidas como ‘retrógradas’, bem diferentes da comunidade europeia. E já falando em diferenças, J.K. Rowling aproveita o filme para apresentar mais uma escola: a Escola de Magia e Bruxaria de Ilvermony, com sede na América Latina.

Seguindo adiante, o filme conta como Newt Scamander chegou na cidade para conseguir um animal [fantástico] para estudar e logo em seguida voltar às suas viagens. O ex-lufano foi expulso de Hogwarts por colocar em risco a comunidade bruxa e os alunos da Escola, embora Alvo Dumbledore, então professor, defenda que ele é inocente.

Acontece que na viagem, Scamander deixa escapar acidentalmente alguns de seus ‘bichinhos’ e eles causam tremendo alvoroço na cidade. O maior perigo é que a sociedade bruxa fique exposta aos no-majs (abreviação de não-mágicos, também conhecidos como trouxas, em Londres) e eles comecem a caçá-la. A corrida contra o tempo é para evitar que os animais destruam Nova York e revelem a identidade secreta dos bruxos. Em meio ao cenário de confusão, aparecem as figuras de Grindelwald e Credence, que serão os maiores desafios de Newt.

O filme dirigido por David Yates (sim, o mesmo diretor de Relíquias da Morte) tem mais de 2h de duração e massacra a visão dos espectadores com tanta autoridade que dá vontade de sair correndo e entrar na tela para chorar com cada personagem (acreditem, eu também queria fazer isso). O que mais surpreende na trama é a riqueza incrivelmente detalhada dos efeitos especiais. É claro que esperávamos ver algo realmente grande, já que David também dirigiu A Lenda de Tarzan (crítica aqui) e a fotografia do filme estava espetacular, mas no caso de AFOH, a surpresa é ainda maior. São guarda-chuvas que surgem de varinhas, figurinos bem trabalhados e até uma câmara da morte mágica que completam este deleite. Além disso, quem é aficionado pela saga, vai reconhecer na trilha sonora vestígios de Harry Potter, o que dá mais nostalgia.

Sobre os personagens, o que deixou a desejar, para alguns fãs, foi a curtíssima aparição de Johnny Depp, uma das maiores expectativas do filme. Como você já sabe, ele interpreta Grindelwald, o parceiro de Dumbledore. Eddie Redmayne, no entanto, surpreendeu mais uma vez, com uma atuação que valorizou bastante o personagem de Newt Scamander. Katherine Waterston, Ezra Miller, Dan Fogler e Samantha Morton compõe o restante do elenco que contracenou com maestria o longa mais aguardado do ano.

Bem feito feito.


Like it? Share with your friends!

0
Pedro Lucas Porto
Pseudopublicitário, sonha em conhecer Orlando e tirar uma selfie marota em frente ao Wizarding World of Harry Potter
Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format