Em entrevista ao podcast Bret Easton Ellis, os responsáveis pelo roteiro de Cinquenta Tons de Cinza, Kelly Marcel e Patrick Marber, revelaram que ainda não tiveram coragem de assistir ao filme.

“Meu coração está quebrado com o modo que foi feito o filme, de verdade”, disse Marcel. “Não digo com algum tipo de amargura, raiva ou qualquer coisa assim. Apenas sinto que não posso vê-lo sem sentir um pouco de dor por ser muito diferente do que eu havia escrito. Eu queria começar pelo final do filme, mostrando o espancamento e partindo para flashbacks que vão ao longo da história. Eu queria explorar a deusa interior e todos os monólogos de Ana. Senti que poderia ser um filme muito sexy se não tivesse tantos diálogos. A autora disse que não era o filme que ela e os fãs queriam ver”.

Marber, contratado para reescrever o texto de Marcel, disse que os produtores não foram coerentes.

“Quando me contrataram disseram que eu era um herói, que estava salvando as vidas deles. Depois eu fui demitido”.

Segundo Marber, E.L. James não era fã de seu trabalho.

“Fiquei triste porque achei que tinha escrito um bom roteiro”.

Na trama, Christian Grey (Jamie Dornan) é o milionário sadomasoquista que seduz Anastasia Steele (Dakota Johnson).

 

E você, o que achou de Cinquenta Tons de Cinza?