Talvez você deva assistir Homem – Formiga mesmo que esteja cansado de filmes de super-heróis ou não goste do gênero. Afinal, você deve ter se perguntado ‘qual a graça dum Homem – Formiga?’. Eu também e me surpreendeu.

O Homem – Formiga é realmente diferente de outros filmes de super-heróis. Ele inova, não tenta te convencer com efeitos especiais sobre uma história que deixa a desejar. O Homem – Formiga é uma boa história, ação e no meio dessa ação tem humor.

Enquanto muitos deste gênero tentam surpreender com muita ação, efeitos especiais e uma história geralmente fraca, este dosa muito bem ação, ficção científica e humor.

Scott Lang era um ladrão que, depois de algumas vezes preso, decide ajudar o doutor Hank Pym, descobridor da Particula Pym, para salvar sua invenção. Para isso, Lang aceita vestir uma roupa especial que lhe permite diminuir de tamanho, controlar um exército de formigas e assim evitar que Darren Cross venda a invenção a um grupo de mafiosos.

O filme traz ângulos e cortes de cenas cativantes porque altera entre grande e pequeno o que dá mais velocidade ao filme contribui para o humor. É divertido ver coisas pequenas em tamanhos macros.

As atuações estão ótimas também. Michael Douglas como doutor Hank Pym é cativante desde o começo do longa. Paul Rudd se encaixou perfeitamente no papel do protagonista e Angeline Lilly como filha e secretária de Pym é convincente. Ainda há Michael Peña como Luís, amigo de Scott, ele é engraçadíssimo.

Dá vontade de assistir mais vezes.