Robin Hood – A Origem, filme estreou dia 29 de novembro nos cinemas brasileiros, e já se está no TOP 1º lugar como filme mais assistido, o longa conta a origem da historia do ladrão herói.

Taron Egerton, chega como o nosso bandido herói, roubando dos ricos para dar aos pobre. Robin Hood (Taron Egerton) é muito mais novo que as antigas versões que já foram feitas, mostrando o ponto inicial desse filme, sua origem. O ator teve que treinar arco e flecha, na real/oficial para interpretar o papel na sua total perfeição como arqueiro. Junto com efeitos especiais e as maravilhas do cinema, conhecemos Robin Hood.

Todo filme tem que ter aquele casal, né gente? Então Robin e Marian (Eve Hewson) formam esse casal, clichê, com troca de olhares profundas e muitas promessas. Até que chega aquela cartinha (vem servir o exército, lindo), a jornada desse novo Robin começa. Mais um detalhe importante é que ele é um dos lordes, Robin de Loxley. Depois de um período traumático na guerra (Cruzadas) ele volta e descobre que foi dado como morto pelo Xerife de Nottingham (Ben Mendelsohn). Esse não é um filme de história, desde o lançamentos dos trailers foi informado que seria tratado de uma forma diferente.

E que diferente, em? Filme em muitos momentos me lembrou o jogo Assassin’s Creed com cenas das pessoas, pulando os muros, subindo e andando nos telhados, em muitas cenas eu só lembrava de Assassin’s, e ainda me arrisco a dizer que lembrei do vilão de Rogue One (Diretor Orson Krennic) que é interpretado por Ben Mendelsohn, ele mostrou mais uma vez que nasceu pra fazer papel de vilão.

Num geral, o filme é muito bom, dou 3 pipocas 🍿🍿🍿 e digo mais: vou novamente ao cinema hahaha