Para as pessoas que gostam de ver filmes com muita destruição Terremoto A  Falha de San Andreas é uma ótima opção, já para as pessoas que procuram algo, ou uma história diferente, este não é o filme certo.

Fui assistir ao filme com a esperança de ver algo diferente, mas de inicio percebe-se que o roteiro (ou história) vai entrar no clichê que circula os demais filmes. Como toda história tem os personagens principais, onde você percebe que esses irão passar por todas as dificuldades do filme e no final tudo ficará bem.

Em Terremoto A Falha de San Andreas Ray Gaines (Dwayne “The Rock”) é Piloto de Resgate  e Segurança de Los Angeles, ainda em processo de superação da morte de sua filha (anos atrás) e divórcio de sua ex-mulher Emma (Carla Gugino), fazendo de tudo para manter um relacionamento com sua filha Blake (Alexandra Daddario) e aceitar o fato de sua filha ir morar com o atual namorado de sua mãe Daniel Riddick (Ioan Gruffudd). O filme começa a se desenvolver quando Lawrence, um professor universitário especialista através de seus conhecimentos prevê o maior terremoto envolvendo a falha de San Andreas.

O filme então começa a seguir o rumo da história, Ray vai atrás de sua esposa para salva-lá quando  o terremoto começa, e ao resgata-la, descobre que  que Riddick (atual namorado de sua ex) deixou sua filha abandonada em um estacionamento, presa em um carro, então a história começa a se desenvolver na busca de Blake, que por sua vez é salva por dois irmãos que se juntam a ela para a sobrevivência. A partir dai começa um “jogo” de personagens, onde você pode escolher entre Ray e Emma ou Blake e os irmãos fazendo de tudo para sobreviver e se reencontrarem, situação que é clichê em diversos filmes onde todos sabem que virá o final feliz.

Para os amantes de efeitos especiais Terremoto A Falha de San Andreas é uma ótima opção para se apreciar, prédios caindo, planos mostrando a cidade sendo destruída, o chão se elevando, tsunami e por ai vai, e com os efeitos especiais o filme consegue prender a atenção do telespectador fazendo que o mesmo se sinta agoniado em algumas cenas com os ocorridos da destruição, seja por um chão sendo destruído ou pelas ruas da cidade sendo invadida por um tsunami. E tirando a parte dos efeitos especiais (que por sinal eu gostei muito) e a história (clichê) o filme aborda muito sobre a importância da família, ela estando junta ou não, mostrando que a união acaba sendo mais forte que qualquer coisa para salvar uma pessoa que ama, e também podemos ver que um não familiar (no caso do personagem Riddick, padrasto de Blake) não colocaria a vida em risco para te salvar.

 

Resumindo: Se você não liga para o clichê cinematográfico e gosta de bons efeitos especiais, para não passar o fim de semana em casa Terremoto A Falha de San Andreas é uma boa opção.