Assistir toda cinessérie O Hobbit pode ser uma empreitada homérica para quem não está acostumado com filmes tão longos (que somam quase oito horas de duração). Para os próprios fãs da saga, a tarefa pode ser cansativa, já que o diretor Peter Jackson decidiu adaptar um livro que não é muito extenso (são menos de 300 páginas) em uma trilogia, atitude que rendeu algumas críticas dos admiradores mais puristas da obra do escritor J. R. R. Tolkien.

O objetivo é se manter fiel ao que foi escrito no livro original do autor de O Senhor dos Anéis.

Para entregar uma visão mais concisa da trilogia formada por O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (2012), O Hobbit: A Desolação de Smaug (2013) e O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014), um fã auto-denominado “tolkieneditor” se propôs a condensar os 474 minutos da trilogia em um só filme de 240 minutos (4 horas), chamado The Hobbit: The Tolkien Edit.

“Deixe-me começar dizendo que eu gosto de muitos aspectos da trilogia O Hobbit de Peter Jackson. No entanto, senti que a história foi estragada pelo duração interminável do filme, detalhes desinteressantes do enredo e um constante obstrucionismo da narrativa. O que me deixou especialmente entristecido foi como Bilbo (supostamente o protagonista da história) foi relegado à ausência em grandes proporções nos dois filmes finais”, diz ele em seu blog, onde explica porque está editando os filmes em um formato mais curto.

A mudança mais notável em relação ao material original foi a remoção do arco dramático que envolve o triângulo amoroso formado por Tauriel, Legolas e Kili. Outras cenas cortadas foram o prelúdio com o velho Bilbo, a investigação de Dol Guldur e diversas cenas na Cidade Lago.

A versão The Hobbit: The Tolkien Edit pode ser baixada no blog tolkieneditor.wordpress.com.