Hoje é o aniversário do escritor Jonh Green que ficou famoso com o best seller A culpa é das estrelas e nos conquistou de vez. Ele nasceu no dia 24 de agosto de 1977.

Com mais de 1 milhão de seguidores no Twitter, é autor do The New York Times, premiado com a Printz Medal e o Printz Honor da American Library Association e com o Edgar Award, além de ter sido duas vezes finalista do prêmio literário do LA Times. Com o irmão, Hank, mantém o canal do YouTube “Vlogbrothers“, um dos projetos de vídeo on-line mais populares do mundo. Mora com a mulher e o filho em Indianápolis, Indiana.

Matéria relacionada: 
RESENHA – O TEOREMA KATHERINE, DE JOHN GREEN
LIVROS PARA CHORAR: 3 LIVROS QUE IRÃO TE FAZER CHORAR LITROS

Para comemorar o aniversário desse escritor tão sensacional, vamos relembrar os livros mais famosos.

Cidades de Papel

O filme foi estrelado nos cinemas por ninguém menos que a top modelo mais sensacional, Cara Delevingne, que nem teve uma atuação muito fantástica, mas como é linda de morrer, não fez feio nas telonas, com perdão do trocadilho.

Sinopse

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

Quem é você, Alasca.

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao “Grande Talvez”.

O Teorema Katherine

“Quando se trata de garotas (e, no caso de Colin, quase sempre se tratava), todo mundo tem seu tipo. O de Colin Singleton não é físico, mas linguístico: ele gosta de Katherines. E não de Katies, nem Kats, nem Kitties, nem Cathys, nem Rynns, nem Trinas, nem Kays, nem – Deus o livre – Catherines. K-A-T-H-E-R-I-N-E. Já teve dezenove namoradas. Todas chamadas Katherine. E todas elas – cada uma, individualmente falando – terminaram com ele.”

A culpa é das estrelas

Esse é o livro que fez muita gente chorar litros. Absurdamente triste e comovente. Até hoje lamento não existir o livro Uma Aflição imperial, sem dúvida ia ser mais um best seller do John.

Com humor, doçura e melancolia, John Green narra o romance de dois adolescentes que se conhecem em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer. Hazel é uma paciente terminal cuja vida vem sendo prolongada por uma nova droga. Augustus foi jogador de basquete até perder uma perna para o osteossarcoma. Como Hazel, Gus gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer – sua principal arma para encarar a doença que abrevia seus dias.