Preciso fazer uma consideração antes de começar mais um relato desse projeto da Editora Pendragon:
como sempre a capa arrasa mas confesso que ODIEI o nome do livro. Desculpe. =/

Ribeirões da paixão é aquele tipo de livro antigo, com fazendeiros, homens machistas e fortões, cavalos e mulher na cozinha. Acho que desde a minha adolescência, quando lia e relia Sabrina, Julia e todos os romances de banca que podia achar, não tenho lido nada do tipo.

A história conta o romance de Crislene, filha de fazendeiro rico, médica, nova e linda de morrer e Cláudio, peão da fazenda vizinha, bruto e pobre. Bem o clichê que a gente ama. Cláudio socorre Crislene num acidente de cavalo e os dois se apaixonam perdidamente. Claro que a treta vai rolar, afinal ele é pobre e ela é filha de pai machão. O cara não vai aceitar por nada e isso vai dar sofrimento bem no estilo Romeu e Julieta.

Henrick é um autor novo. Dá pra notar. Pelo menos nesse gênero, ele não me convenceu. Eu li em seu perfil que ele tem obras voltadas para o suspense, etc, então queria conhecer e saber como ele é nesse gênero.
O romance pareceu surreal. Nossa, foi tipo em cinco minutos. E eu juro, cinco minutos eles estavam jurando amor eterno e morrendo um pelo outro. A minha dica pro Henrick seria essa: pega leve, amigo.

Quem tá habituado a ler romance, tá bem crítico nisso. A galera quer que o romance pareça de verdade. Que faça sentido e você se apaixone junto. Encontrar alguém e se apaixonar à primeira vista já não cola tanto como antes. Isso é fato. Eu me incomodei demais com isso e a cena de amor entre eles me deixou ainda mais revoltada. Vamos láaa, pega essa mina e joga na parede! Faz uma cena épica! Esse tipo de gênero pede isso.

No geral, Crislene tem tudo pra ser uma mega personagem. Já odeio o pai Leopoldo e adorei a Marta. Eu ainda acredito no livro e tô curiosa pra saber o desenrolar. Infelizmente, imploro pra melhorar.

Vamos lá, Henrick. Mostre pra gente tudo que você imaginou pra esse casal rústico maravilhoso e me prove que estou errada. Confio em você.

beijo, até mais.