Eu sou do tipo que compra livro pela capa, vocês já devem estar cansados de saber disso, né? Na maior parte das vezes, o livro passa meses na minha estante até a capa me encantar de novo e eu decidir pegá-lo pra ler. E foi isso que aconteceu com esse livro.

A lista de Brett conta a história de Brett Bohlinger, uma mulher bem sucedida, com um namorado, emprego e tudo mais que se tem direito. Acontece que sua mãe morre e o livro começa a acontecer a partir daí.

Leituras que envolvem mortes de personagens marcantes sempre me deixam numa bad. Particularmente sensível por motivos pessoais, quase sempre deixo o livro de lado e guardo pra outro momento. Não foi o caso desse.

A mãe de Brett, Elizabeth Bohlinger decide guiar a filha à felicidade plena mesmo após a sua morte. Ela deixa por escrito que Brett só receberá a herança se seguir uma lista. Essa lista contém atos de mudança extrema na vida dela. Do emprego ao relacionamento, Brett terá que questionar tudo se quiser manter o estilo de vida que conhece.

Elizabeth é o tipo de mãe que conhece cada detalhe da filha. Ela listou cada desejo de forma a não deixar brechas e moldar a felicidade que a filha conhecia quando criança.

O livro é delicioso e mesmo com todo estilo chick-lit de ser, ele surpreende. Nos trás pensamentos da realidade, do quanto mudamos ao crescer e como a rotina da vida nos endurece aos poucos. Chorei em alguns momentos e me perguntei o que eu queria pra ser feliz aos 14 anos. Confesso que até agora não consegui delimitar isso.

O final do livro é esperado mas mesmo assim, você corre pra saber o que acontece. É o tipo de livro que você lê correndo pra saber o que vai acontecer e ao mesmo tempo, lê devagar pra não acabar. Senti falta de algumas informações de personagens secundários, ficou vago. Como um livro escrito em primeira pessoa, nos deixa a desejar essa interação. Nada que desvalorize a escrita da autora e a mensagem geral do livro.

Falando da capa, inicialmente chama atenção pelas cores e simplicidade, mas após a leitura estar fluindo, percebi que cada detalhe faz parte da lista e da história. Tudo muito bem conectado com a trama e muito bem representado. Linda de se “ler”.

Enfim, livro delicioso. Daqueles que te fazem pensar e ao mesmo tempo curam aquela ressaca literária anterior. Vale a pena por todo carinho e atenção de uma mãe pra uma filha. Vale a pena por todo carinho de uma autora. E mais que tudo, vale a pena por cada mensagem de autorreflexão. Que todos tenham uma lista mental do que realmente nos faz feliz.

E boa leitura.