O livro Antes da Queda foi publicado pela Editora Intrínseca em 2016. Como já introduz o título do livro, um avião caiu. 11 pessoas embarcaram em um jatinho particular e 18 minutos depois apenas duas pessoas sobreviveram.

O livro conta a história de cada pessoa que embarcou no avião, pois a história de cada passageiro é um forte elemento para desvendar a razão da queda. As possibilidades para o acidente são inúmeras, tais como: ataque terrorista, atentado criminoso de inimigos, erro humano, erro mecânico. A maior investigação do país é montada, pois no avião havia pessoas com dinheiro e prestígio.

Um dos sobreviventes do acidente é Scott, um pintor bonitão e fracassado. Sabe aquela frase “Eu estava no lugar errado, na hora errada”? Então, eis o que aconteceu com Scott. Ele mal conhecia Maggie Bateman que o convidou para ir de Marthas Vineyard – ilha de veraneio dos Estados Unidos – para New York. O convite parecia bom demais, porque primeiro ele simpatizava muito com Maggie e depois por que ele trocaria uma balsa por um jatinho particular com comissárias bonitas, espumante e muito luxo. O pintor quase perdeu o voo, mas felizmente – Ops, infelizmente – conseguiu entrar no jatinho a tempo de participar da queda.

“Foi mesmo sorte? É sorte sobreviver a uma tragédia?

No caso quem teve sorte foi J.J, um garotinho de 4 anos que contou com o herói Scott para nadar por mais de 8 horas no oceano com um braço quebrado, no escuro e salvou sua vida.

“Todos são de algum lugar. Todos temos histórias e nossas vidas se desenrolam em linhas tortas, colidindo de maneiras inesperadas”

O acidente mudou completamente a vida de Scott, metade das pessoas duvidava que ele fosse um herói e a outra metade passou a perseguí-lo por que ele era um herói e todos queriam saber tudo sobre ele.

“As vidas que vivemos, são cheias de buracos”.

Os sobreviventes precisaram lidar com toda a pressão do acidente e o mistério sobre a queda do acidente foi torturante e inquietante.

“Talvez esta fosse a arrogância da humanidade: lutar diante de dificuldades assustadoras, achar o equilíbrio, escalar a montanha e sobreviver à tempestade”.

O livro é muito interessante sob o aspecto humano, mostrando as reações, o combate, as intrigas e a surpresa por trás da história de cada um dos passageiros do fatídico avião. A história é contada remontando a história de cada uma das pessoas que estavam no avião e das versões do investigador Gus e de Scott sobre o que ocorreu a partir do acidente. Há ainda capítulos que tratam os quadros de Scott, pois ele pintava quadros de catástrofes.

“E se, em vez de uma história contada em uma ordem consecutiva, a vida for uma cacofonia de momentos que nunca abandonamos? E se as experiências mais traumáticas ou mais bonitas que temos nos prendem em um tipo de looping contínuo, em que pelo menos uma parte de nossos cérebros se mantém obcecada, mesmo enquanto nossos corpos continuam vivendo?”

A única crítica ao livro seria com o desfecho do livro, pois a história é muito boa, a narrativa maravilhosa e o desfecho foi fraco e apático. O livro merecia um grand finale. Se eu pudesse, reescreveria o final e ficava tudo certo.

“A vida é uma série de decisões e reações. São as coisas que fazemos e as que são feitas a nós. E então ela acaba”.