Olá pipocas do meu coração, turuboom com vocês? Vamos de projeto Leia um Nacional porque a gente merece, né? E hoje vamos falar desse livro que só posso dizer: QUE TIRO FOI ESSE, MEUS AMIGOS?

Caminhando sozinho é daqueles livros que você chora lendo a sinopse. Bem na época que o recebi para resenhar já imaginava que ia ser um banho de lágrimas com direito a caixas de lenços e fungadas. Não estava enganada. O que me surpreendeu foi que também sorri bastante. Então vamos falar sobre esse livro maravilhoso do querido Rafael Porfírio.

Projeto #LeiaUmNacional [participe]

Caminhando sozinho conta a história de Gabriel, que perdeu sua família num acidente de carro e se vê meio perdido na vida. Acaba vegetando na vida, sem rumo, sem esperança, até que tios, primos e avós lhe mostram que ele ainda tem motivos de sobra para sorrir.

Perder um ente querido nunca é fácil e Gabriel tá sentindo na pele a solidão de nunca mais poder ver os pais. Jovem, largou a faculdade, saiu da cidade e foi viver com os avós. Detalhe que esse livro se passa no Brasil, queridoooos. Isso mesmo, brazuca até a alma.

Numa cidadezinha de Minas Gerais, Gabriel acaba fazendo amizade com Nique, uma amizade sem pretensão nem nada, mas claro que as coisas vão mudando né?

Acontece que Gabriel decide retornar pra Belo Horizonte, vai viver com uma tia e uma prima – Stacy maravilhosa diva – e decide que tá na hora de seguir com a vida. Uma pausa pra um trecho desse livro, no qual eu fiquei parada por uma hora inteira, até me estabilizar emocionalmente:

“Numa manhã você acorda e percebe que é hora de seguir. A vida é assim, não tem como mudar. Superar tudo que aconteceu é difícil, às vezes nunca se supera. Mas a vida não acabou.”

Nessa retomada de vida, Gabriel volta aos estudos, consegue um trampo, compra um carro e faz novos amigos. Tenho que falar que uma coisa que me incomodou um pouco foi a quantidade de personagens. Em alguns momentos me perdi com tanta gente. Nique também aparece na cidade e até agora tô tentando entender o motivo.

Minhas considerações: Rafael é um talento. Com um pouco mais de fluidez e prática, teremos um gênio aqui, pipocas! Amei o livro num grau, que vocês nem imaginam. É daquele livro que se lê numa sentada, sem respirar, pra saber o que acontece. E preciso dizer: QUE $#@ DE FINAL FOI ESSE, SR RAFAEL PORFIRIO? Pelamor, preciso da continuação. E também preciso do livro físico na minha estante porque essa capa tá maravilhosa. Obrigada.

Temos alguns casais lindos e outros, nem tanto. Temos a tia divertida e temos a fome. Porque o que esse livro fala de comida não tá no gibi. Eu preciso de um parmegiana urgente, tá?

Curti o livro e foi mais uma ótima aquisição no nosso projeto. Obrigada por dividir com a gente e espero mais, viu?
Seu livro tem emoção e coração, dá pra sentir o carinho que colocou em cada personagem, como se cada um fizesse parte da sua vida, indiretamente. A você, leitor, desfrute dessa obra. Um pouco de risada com altas doses de carinho, isso eu garanto. Beijo, até a próxima.

Esse livro integra nosso projeto Leia Um Nacional. Participe!