O livro Cerberus é o primeiro livro do escritor brasileiro e talentoso, Leonardo Monte, lançado pela Editora Novo Século (Novos Talentos da Literatura Brasileira).

A capa do livro é muito bonita e a frase abaixo além de definir bem as equipes, também é um grande incentivo para começar a leitura:
“O destino os fez guerreiros, a amizade os fez irmãos, o sangue os fez heróis”.

É fácil identificar algumas referências do autor, tendo em vista que a história do livro circula pelo universo das sombras. Instantaneamente fui remetida para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde o bruxo mais amado do mundo viveu.

Pois bem, a história se passa no nosso país tropical e bonito por natureza, ou seja, em terras tupiniquins, todavia em um mundo pós-apocalíptico em que seres sobrenaturais transitam nesse plano com os sobreviventes.

E como sobreviver em um mundo com demônios, vampiros, bruxas?
Estudando.

Estudando onde? Ora bolas, em um colégio normal como qualquer outro, com professores, matérias, carga horária, jogos internos e muitas PROVAS.

É desse jeito mesmo, Cerberus é o nome do colégio que estudam Renan, Caio, Mônica, João, Verber, Max, Alfredo, Samuel e Julius. É um colégio interno e os alunos têm aulas, provas e tudo mais.

O objetivo da Cerberus é formar equipes capazes de enfrentar o mundo sombrio, pois depois que terminam o colegial, as equipes saem do colégio e precisam estar bem preparadas para lidar com qualquer tipo de criatura.

Minhas matérias preferidas seriam as de Demonologia I e II e de combate que são algumas das matérias lecionadas na Cerberus. O colégio interno possui um Diretor que é responsável por tudo que ocorre por lá que é o professor Izidro.

Renan é um adolescente de 12 anos que está em processo de montar uma equipe e que tem grande predisposição para ser o Corso e seus companheiros são Mônica, João, Caio e Ilian (meio vampiro). O grande desafio é encontrar um Padre para a equipe. Os padres são tão ou mais importantes do que os cães de guerra que é como são chamados os jovens guerreiros e ávidos por combate. Em algumas batalhas de nada adianta força física, somente a fé é capaz de salvar a equipe, não se esqueçam que estamos falando de todas as criaturas do universo das trevas.

A equipe de Renan é instada a ajudar a equipe dos Ursos Vermelhos composta por Verber (armeiro), Samuel, Julius, Max e Alfredo que são garotos mais velhos em torno de 16 anos. A irmã de Samuel desaparece depois de realizar um ritual demoníaco com Sebastian e por conta desse episódio a equipe de Renan segue para ajudar a Equipe de Samuel para encontrar a garota. Depois disso, instaura-se um grande mistério a ser desvendado durante a drama.

O livro não te deixa ter fôlego, tem uma aventura atrás da outra. A escrita de Leonardo é excelente e muito empolgante. Infelizmente o livro não é tão conhecido ainda, pois não deixa a desejar em nada de outras obras estrangeiras do mesmo gênero.

Para entender o subtítulo do livro que é “entre cobras e ursos”, só mesmo no final do livro com a revelação do suspense.

Tenho apenas duas críticas ao livro. Infelizmente o capítulo dedicado à revelação do grande mistério do livro que consequentemente é a revelação do vilão da história não teve todo o peso de uma revelação, do meu ponto de vista faltaram detalhes, ficou um pouco solto, não fez muito sentido. E a outra crítica seria de edição, pois em dois momentos são citados personagens em um local sendo que tais personagens estavam na verdade em outro lugar totalmente diferente, por exemplo, é trocado o nome de Verber pelo de Samuel e esses são detalhes que um leitor atento percebe.

O livro é muito bom, passeia por muitos temas, romance, terror, suspense, drama e isso tudo enriquece a leitura.

Sinopse: O terror está instituído pela fome, pela doença e pela miséria humana. A esperança como uma vela de pavio curto morrendo aos poucos. Canibais, Calabans, Mordecais, Pashits, Ankh-o-rus, Beliahs, Banshees, licantropos e toda sorte de criaturas que antes só existiam em nossos mais terríveis pesadelos vagam pela Terra indiscriminadamente destruindo, aterrorizando e, às vezes, até convivendo conosco em uma relação de total dominância.

Cidades viraram ruínas, as pessoas voltaram a viver em vilarejos e feudos, sem um poder central, servindo a governantes tiranos e sanguinários que as exploram cada vez mais e mais o medievo voltou a era das trevas flagela novamente a Terra.

A humanidade está a ponto da extinção. Em um ato de desespero, o Vaticano decidiu criar em diversos lugares do mundo as Academias de Caçadores. No Brasil criou-se a Cerberus.
Nesse sombrio lugar, dominado pela fé cega e padres ortodoxos, corredores escuros e úmidos, luz de velas e treinos sangrentos, calabouços e forcas, encontraremos alguns de nossos personagens: crianças doadas em suas primeiras semanas de vida para transformarem-se em caçadores de extra planares. Passarão oito anos de duras provações até sagrarem-se dignos ou perecerão no caminho? Os fracos não servem a Cerberus…

Você está preparado?