“Em busca de água,  em busca de vida
Eu sou o livro com páginas jamais lidas…”

Certeza de que minha poesia preferida desse livro é Propósito.

Vamos falar dessa autora parceira e incrivelmente talentosa Thays Paiva. Quando conheci sua proposta, logo corri atrás para agregar ao nosso pipoca uma leitura bem diferente do que estamos acostumados. Thays escreve poesia e seu livro Confissões de um suicida é um achado.

Projeto #LeiaUmNacional [participe]

De início, preciso dizer uma coisa: QUE CAPA MARAVILHOSA, minha gente. É um negócio de outro mundo. Quando recebi o livro só sabia admirar. Sério. Daí bateu aquela bad. Será que a leitura vai ser pesada pra mim? Será que vai mexer comigo? Encarei. E posso dizer que não me arrependo.

Thays é extremamente talentosa e sabe usar as palavras. Amigos que gostam de poesia, conheçam.

Claramente é um livro que foi feito em fases. E quando digo fases, não quero dizer anos. Podemos falar de dias, horas, séculos. Tanto faz. A cada página eu sentia um humor. A cada página era uma batida diferente.

Existe a batida que te joga no chão. Aquela que relata uma pessoa que não sabe o motivo de existir. Não faz ideia de como pode fazer alguma coisa. Nessas páginas eu fiquei com tanta vontade de abraçar e dizer: você pode!

Existe a batida perfeita, entre a confusão de amar e ser amada e ao mesmo tempo sem saber o motivo. É aquele momento em que você só sabe sorrir mas espera que algo muito ruim aconteça porque sabe que não pode ser tão bom para ser verdade. Nessas páginas, eu quis dizer: você merece!

E existe a batida da maturidade. Aquela que te mostra uma luz no fim do túnel. Parece que vai dar tudo certo e tudo certo sentir medo. Tudo certo se reinventar. Tudo okay não ser perfeito. Aqui eu quis dizer: é isso!

É um livro extremamente sensível. Daqueles que você deixa na cabeceira e degusta com carinho. Aqueles que você lê não para pensar e sim para sentir.

Obrigado Thays
Foi uma honra.
E finalizo contigo, numa frase que vou levar pra minha vida:

“Finalmente enxergo o mundo
Vejo a vida, e não temo a estrada”

Esse livro integra nosso projeto Leia Um Nacional. Participe!