Cinquenta tons mais escuros pelos olhos de Christian

E L James revisita Cinquenta tons com um mergulho mais profundo e sombrio na história de amor que envolveu milhões de leitores em todo o mundo.

O relacionamento quente e sensual de Anastasia Steele e Christian Grey chega ao fim com muitas acusações e sofrimento, mas Grey não consegue tirar Ana da cabeça. Determinado a reconquistá-la, ele tenta suprimir seus desejos mais obscuros e sua necessidade de controle absoluto, e disposto a amar Ana nos termos estabelecidos por ela.

Mas os horrores de sua infância ainda o assombram, e, como se não bastasse, o chefe manipulador de Ana, Jack Hyde, claramente a quer.

 

Olá olá pipocas maravilhosamente NERDS do meu coração! É saudade que fala, né? 😍

Mas eu estou de volta e venho falar de ninguém menos que Grey (Mais Escuro). O meu, o seu, o nosso sádico e maravilhoso Christian Grey. Se você não tem idade, verifique se a leitura é adequada. 😉

A querida autora E.L. James nos presenteou com mais um livro que mostra o lado de Grey, baseado em sua segunda obra, Cinquenta tons mais escuros. Preciso dizer que me orgulho demais dessa autora. O romance erótico saiu do padrão de bancas de jornais e teve um alcance estelar por causa dela. Adoro isso.

Grey nesse livro está incrivelmente pensativo e receoso. O fato de ter perdido Ana depois do excesso de “força”, fez com que ele repensasse todo seu estilo de vida e o fez correr atrás da morena que balançou seu mundo.

Posso dizer que pensar num homem daquele correndo atrás de mim, dá até arrepio na nuca. Maaaas, a realidade é difícil né, meu povo?

Grey é o CEO dos CEOs. E dos céus, não é mesmo?  Que trocadilho péssimo. Haha

Não existe limite pro que esse cara é capaz. Ele tem uma libido absurdo e esquenta as lingeries de 9 a cada 10 leitoras. O livro é quente. Ler sobre o que ele sente no sexo, descrito diretamente por ele, é sensacional.

Não vou dizer que não me incomoda o fato do libido desse casal ser monstruoso. Mas me agrada muito das cenas não serem fantasiosas das que duram horas. Com ele é qualidade rápida com maior quantidade possível. Como não suspirar?

Embora em alguns momentos tenha tido um pouco do mesmo, visto que é uma releitura do segundo livro, adorei a lembrança. Como faz alguns anos que li, revivi cada momento sem me sentir cansada. A partir do meio do livro, engrenei numa sentada. Grey está extremamente pensativo e conflituoso. Em vários momentos temos os conflitos internos dele expressados e debatidos.

Além disso tudo, acho muito legal a forma que a autora lida com negligência da mãe e os abusos que ele sofreu. O fato dele realmente sentir isso tudo enquanto adulto nos mostra que nem tudo passa despercebido nas crianças. E que tudo se torna uma marca em nossa memória.

Gostei do livro. Adoro o fato da Ana fugir de um estereótipo íntimo. Ela não se força à depilação íntima, por exemplo. Ela se interessa pelo próprio prazer e também em conhecer antes de julgar. Acho válido. 

Amo o carinho e a submissão do Grey perante o amor. Adoro as quebras de barreiras e o aprendizado que ele tem ao longo do livro. Odeio a Elena e tenho certeza de que um monte de gente concorda comigo. E preciso dizer: adoro o terapeuta.

Bom, espero que vocês comentem comigo o que acharam e que venha mais Grey. Afinal, quem poderia se cansar dessa belezura, não é?