Saudações, pipocas! Turuboooom?

Você com certeza já me viu falando de distopia, de seres sobrenaturais e ficção científica. Já deu pra notar que a gente ama viajar pelas galáxias, não é mesmo?

Não poderia ser diferente agora, ainda mais com essa autora incrível (e ainda por cima, simpática que só). Só não me peçam para pronunciar o nome dela que vai ficar complicado.

Soviersovski criou um mundo totalmente fora da casinha. É aquele tipo de coisa que a gente fica pensando em como ela vive, do que se alimenta, para criar tanta fantasia junta num livro só. Mas é uma coisa linda de se ver, é tanto respeito, tanta harmonia, que eu fico pensando que seria maravilhoso viver em um mundo assim. Drah é isso e muito mais, com um universo científico e inteligente, baseado na ordem e evolução.

Claro que nem tudo é tão perfeito, e por falta de um elemento, a tecnologia de Drah começa a entrar em colapso, deixando todos os cientistas preocupados.

Quando Ross, o mais incrível e inteligente de todos os cientistas, descobre a solução, não consegue fazer funcionar de imediato e com ameaça de um planeta vizinho, Ross decide guardar sua solução na cabeça de sua filha, uma híbrida que não faz ideia de quem é e acaba portadora de uma solução que todo mundo procura.

O problema nisso tudo é que Alessandra vive em Curitiba, não sabe que é híbrida, tem uma vidinha mais ou menos e está totalmente deprimida com a falta de perspectiva.

Num arrombo de coragem, ela decide viajar e ver outras coisas. Para isso, rola uma pequena saída com as amigas para curtir sua última noite em Curitiba. Nessa noite o Yan, líder da segurança de Drah, está ali para busca-la, a pedido de seu pai. Ela precisa ir pra seu planeta fornecer toda a tecnologia que tem nela.

Yan é o gostosão maravilhoso e ela logo cai de quatro por ele. Eles brigam demais e são chatos e implicantes, mas a química é inegável. Personagens fortes e incríveis.

Saber que sua vida toda fiou incompleta, por não saber de onde veio e suas raízes, isso mexe com qualquer um. Não é diferente para a professora Alessandra.

Essa obra tem o jeito de mostrar cada detalhe, cada lugar, descrever cada ambiente e te transportar pra outro universo de forma que você queira morar lá pra sempre. Drah tem a harmonia que nós procuramos, e em tempos de escuridão, é o que mais sonhamos também.

Drah nos trás a calma de um ambiente controlado e do respeito. Eu acho que foi o que mais curti no livro. Eu acredito no respeito como a base de tudo na vida e nisso, Soviersovski foi SEN-SA-CI-O-NAL.

Além do romance e das cenas quentes, esse livro tem inteligência. Não é qualquer um que escreve ficção assim. E ver isso numa autora nacional me trás a esperança de que estamos no caminho certo.

Obrigada pela oportunidade de ler algo tão bacana. E por favor, gente. Leiam! É incrível!

E que venha mais Alessandra no próximo lançamento da autora.

Beijos e até breve.