Dan Andelman, antigo executivo da Nintendo, falou com o site Dromble sobre a cultura corporativa da companhia nipónica, mostrando-se bastante crítico.

“Eles são muito tradicionais, muito focados na hierarquia e na tomada de decisões em grupo,” disse Andelman no que respeita à estrutura da companhia. “Infelizmente isso cria uma cultura onde todos são conselheiros e ninguém toma decisões, apesar de quase toda a gente ter o poder de veto. Até mesmo o Sr. Iwata por vezes teme tomar uma decisão que possa alienar um dos executivos no Japão.”

Adelman contou que para se fazer qualquer coisa envolve sempre a junção de uma grande quantidade de diferentes grupos, e isso torna-se ainda mais difícil para aqueles que estejam fora do Japão, porque todo o processo é repetido aos mais variados níveis.

“Isso não é necessariamente uma coisa má, no entanto poderá ser bastante ineficaz e moroso,” acrescentou.

“O maior risco é que em qualquer passo desse processo, se alguém importante disser que não, acaba-se tudo. Por isso no geral as ideias mais ousadas não conseguem passar à fase seguinte, a não ser que elas sejam oriundas dos cargos cimeiros.”

Mas esse parece não ser o único problema.

“A maior parte dos executivos sénior da companhia ainda são da altura da NES e da Super NES e eles não percebem os jogos modernos, por isso adoptar as partidas online, sistemas de contas, listas de amigos, ou entender o crescimento dos jogos no PC tem vindo a ser um processo muito lento.”

“As ideias são muitas vezes descartadas prematuramente porque algumas pessoas com o poder de vetar uma ideia simplesmente não as entende. Existe uma razão muito pequena para tentar apostar nessas ideias. A tomada de decisões arriscadas geralmente não são recompensadas. A única coisa que é realmente recompensada é a lealdade a longo prazo, por isso o caminho mais fácil é simplesmente manter o mesmo rumo.”