Olá pipocas, turuboooom?
Eu tô bem e bem na boa. Vamos de novidade?

Recentemente fomos selecionados para conhecer alguns novos projetos da Editora Pendragon, que eu adoro há tempos e que já mandou pra gente cada coisa linda e maravilhosa que nem sei dizer…
Hoje eu vou falar sobre um conto que escolhi fazer as primeiras impressões e vou dizer: CARACAAAA!

Eu li o conto sem muita pretensão. No final eu estava com cara de choque, pensando: O QUE TÁ ACONTECENDO, MANO?
Por um momento eu confesso, não entendi nada. Depois fiquei pasma e ai finalmente entendi. Sim, eu sou lerda.
Depois que entendi percebi que é PRA ISSO QUE EU LEIO! Pra sair em choque e pasma com as coisas. Pra chorar, pra gritar e pra se emocionar. Se eu não quisesse isso, continuaria lendo rótulo de shampoos, né não? haha

Enfim, Somos Ninguém é composto por 14 contos, de 14 personagens diferentes. A pegada é que cada personagem tem uma treta pessoal consigo mesmo. Ou seja, todos eles tem problemas mal resolvidos, seja uma depressão, transtornos, etc. Eu comecei a ler o conto da Diana e imaginei que ela tivesse algum transtorno. Depois, claramente fui vendo que a personagem era apática, totalmente entregue à depressão, sem perspectiva. Foi tão pesado que eu até tive um momento de solidão por ela.

Diana é uma menina no começo do conto. Ela conhece outra menina, a Catarina, que sendo mais velha logo faz a cabeça da menina sobre crescer e ser mais “mulher”. Aqui um ponto que me incomodou, foi muito rápido. O crescimento das meninas aconteceu em segundos e eu quase me perdi. Mas como já disse, sou lerda, então é compreensível que eu tenha sentido isso.

A autora tem uma escrita bem peculiar. Ela tem o paranauê de detalhar a cor da grama mas ao mesmo tempo senti falta das características dos personagens. Acho que por ser um conto bem corrido, com uma bagagem de informação enorme, isso aconteceu mesmo.

Enfim, Diana cresce e vê que a vida continua sem sentido. Não existe o ápice pra ela. Não tem fogos de artifícios nem nada que a empolgue. Enquanto a vida continua e ela acaba virando garota de programa, nada acontece. Achei tão triste o fundo do poço da Diana. Tão pesado e sofrido. Eu me senti com o coração na mão em vários momentos.

De todo, eu curti o conto. Achei o final lacrador e bem forte. Eu fico imaginando se os outros 13 personagens vão ser tão sofridos quanto a Diana. Fiquei curiosa pra conhecer mais.
Um conto que indico para quem curte a pegada mais dramática. É a realidade de muitas pessoas relatada num conto de 16 páginas. Infelizmente isso acontece mais do que a gente imagina.

Que venham mais, Cindy. Parabéns.
Mas por favor, me conte mais de cada personagem. Eu fico maluca quando não consigo idealizar alguém na minha mente. haha

beijos, até mais.