Olá pipoqueiros do meu core, turuboooom com vocês?

Comigo tudo maravilhoso de lindo, ainda mais depois dessa leitura. O que eu tenho de sorte para ler livros bons, não tá no gibi. E não foi diferente nessa obra. A leitura da vez foi ‘Patagônia Babilônia‘ de João Peçanha.

Totalmente diferente e fora do meu quadrado, esse livro me deixou com uma dorzinha no coração. A obra conta a história de Ernesto, um velho cego, morador de um asilo, totalmente desgostoso com a vida e com tudo que perdeu. Do outro lado temos Joelsson, morador de periferia, menor infrator, condenado a serviços no asilo e refém de uma sociedade racista e desigual.

A delicadeza desse livro é de encantar até os mais frios corações. Ernesto é aquele velho ranzinza, que teve tudo, dinheiro, amor, vida boa. É branco, privilegiado mas não soube lidar com as perdas da vida. Além de tudo isso, Ernesto passou a vida inteira tentando não cometer os mesmos erros de seu pai omisso e acabou se tornando pior que ele. De tanto ter medo de errar, Ernesto acabou cometendo o erro de não viver.

Eu vi tanto de mim nesse livro, que até me assustei. Às vezes a gente tenta viver pelos outros, viver pensando nos outros, no quanto podemos ou não podemos fazer ou magoar alguém… que deixamos de lado as nossas vontades e sonhos. Deixamos de lado a nossa essência, o que somos por dentro. E no final, só resta amargura, solidão e desprezo por quem nos tornamos.

Do outro lado temos Joelsson, um menor que se envolve num crime mal sucedido, tem como pena cumprir um tempo no asilo, em companhia dos idosos, incluindo Ernesto. Joelsson é pobre, morador de favela. Uma pessoa a quem a vida só bateu a castigou e que tem que lidar todos os dias com o fato de nunca ter tido nada.

Ou seja, temos um personagem que teve tudo e lida com a perda e o personagem que nunca teve nada e lida com isso. E posso dizer pessoas, que livro maravilhoso e sensível. João Peçanha é um autor excelente que nos enreda numa trama cheia de auto crítica e avaliação. Eu fui com uma expectativa no livro e sai completamente maravilhada com a qualidade da obra.

Obrigada ao autor que me mostrou um mundo incrível com personagens totalmente cativantes. A humanidade ainda tem suas maravilhas.

Até breve. =)