Olá pipoqueiros, turubooom?

A resenha de hoje é daquela leitura que você faz numa tarde, super intensa e fluida. O livro Jogos Vitais, da autora Ariane Correa, publicado pela Constelação Editorial me chamou a atenção logo que anunciado – EU AMEI A CAPA. Sim, vocês já sabem que eu amo uma capa, né?

A história de Nick e Natalie é um amorzinho, mas também tem bastante ação, do jeito que a gente gosta.

Nick é um jogador de pôquer, daqueles que nunca perdem. Ele tá jogando com uns amigos, Gabriel e Adam e com David, dono do cassino. Como eu disse, ele nunca perde. Dai no fim da partida, quando Gabriel e Adam já desistiram, David acha que ainda pode ganhar. O cara aposta a própria filha achando que tá com uma mão excelente. Nick torce para perder sua invencibilidade porque acha um absurdo ganhar uma pessoa no jogo, mas claro que isso não acontece.

O rolê é ainda pior, o Gabriel que tá na mesa, é namorado da Natalie, que tá na aposta. Não que ele esteja muito preocupado com isso, já que tá aos beijos com duas morenas durante o jogo.

Natalie é universitária, mora com o pai e trabalha duro para manter as coisas funcionando. Ela tá apaixonada pelo Gabriel e acha que a fase galinha dele já acabou. Claro que vê-lo aos beijos com duas morenas enquanto ela o serve, não estava em seus planos.

Quando o pai aposta sua vida no jogo, ela sai transtornada e Gabriel vai atrás. AGORA COMEÇAMOS O ROLÊ DE VERDADE, amores.

Gabriel é um surtado e sequestra a menina. Pronto, falei.

Nick Halden é meio caidinho na ruiva, então a pedido do pai dela, ele sai atrás do Gabriel, caçando aonde o cara escondeu a Nat.

Temos máfia envolvida? Temos! Temos bastante tiro e porrada? Temos!

O Nick é um fofo e eu fiquei apaixonada nele. O livro é cheio de clichês, daqueles de amor sem nem se conhecer direito, devoção, máfia dominadora e mulher que larga tudo para ficar com o cara. Se você tem problemas com isso, fuja. Mas se você é como eu, que adora uma coisa bem louca e clichê para fugir da vida real, se joga!

Eu curti bastante o livro, embora a personagem tenha me incomodado um pouco porque ela é muito ingênua com o Gabriel. Haha Gente, o Gabriel é odioso e confesso que AMEI o final dele. Finalmente a gente tem aquela vingancinha na nossa alma.

Um livro ótimo para devorar, bem intenso, você fica querendo saber o final e temos um final feliz bem bonitinho. (ownt)

Nos vemos em breve com mais. Se já leu, me conte o que achou. Se não leu e gosta de uns romances queridos, leia.

Share:

author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *