Olá pipoqueiros, turubooom?

Estão prontos pra uma resenha daquelas em que eu me jogo aos pés da editora por mais um livro MARAVILHOSO demais para colocar em palavras?

A Editora Rocco enviou pra gente um pacote com dois livros da série da Charlotte Holmes, esse é “Um estudo em Charlotte“, e eu, como amante insana do grande detetive, enrolei um pouco para ler e absorver essa obra com toda calma e silêncio que ela merece.

Preciso dizer que a Rocco tem meu coração inteiro e se quiser me contratar para divulgar esse livro pelo mundo afora, estou pronta! E Brittany Cavallaro, você tem meu coração também.

Charlotte Holmes é tataraneta do grande Sherlock, detetive eternizado nas obras de Sir Arthur Conan Doyle. A menina é uma típica Holmes, com sua personalidade arredia e inteligente, treinada pela família para desvendar grandes mistérios. A família Holmes preparou a caçula com tudo que tem direito, tanto que aos 11 já tinha resolvido casos junto à Scotland Yard.

A Charlotte cometeu alguns erros em casa, na Inglaterra, e foi mandada para um internato nos EUA. Lá, entre um pouco de pó e jogos de poker para se distrair, a garota faz experimentos e segue a vida. Claro que isso não seria tão simples assim, né?

Quem vai parar nesse internato, não por acaso, é James Watson, tataraneto do fiel escudeiro de Sherlock. Com tudo que ele já leu e aprendeu sobre a descendência, o que ele mais quer é conhecer a menina e conviver com alguém da sua idade que entenda essa ligação das famílias.

James é um garoto bonito, que não se dá bem com o pai, acha que está no internato com uma bolsa de estudos por causa do seu talento com rugby e tem tido dificuldade de se relacionar com as pessoas desse colégio, já que a maioria parece estar mais interessada na grana que cada um tem. E ele não, obviamente.

Numa tentativa desesperada de conhecer a menina e fazer o destino se cumprir, ele acaba se envolvendo numa briga por causa dela. Um cara bem babaca fala umas coisas da Holmes que o Watson não gosta nada e parte pra cima dele. Não ajuda em NADA que o cara babaca apareça morto uma semana depois, né?

Embora o momento seja péssimo, esse acontecimento serve para unir os dois e, finalmente, temos um pouco da cumplicidade Holmes e Watson. E tenho que dizer, AMEI demais.

Os dois são acusados de matar o cara, já que Watson bateu nele e a Holmes foi abusada por ele. Motivos não faltam. Provar que não fizeram isso e, acima de tudo, descobrir quem está por trás do assassinato é o que eles precisam fazer agora.

O Watson acaba se aproximando do pai, o melhor amigo dele talvez não seja tão legal e a Holmes o exclui na maior parte do tempo. A vida do menino não tá fácil.

Aos 17, Holmes é uma personagem e tanto. A menina fuma um cigarro atrás do outro, toca violino e sabe escapar de um lugar sem deixar pegadas, mesmo que seja no meio da lama. Um treinamento desses, né?

Há quem diga que a Charlotte ignora e maltrata demais o James, mas eu consegui ver a personagem da forma como ela é. Como grande amante de Sherlock, consigo ver todos os traços de personalidade nela, entendendo como é a mente analítica e perspicaz da menina e, compreendi que a sensibilidade de sentimentos dela é totalmente diferente do que a sociedade entende como “normal”. Ela quer o James por perto, mas o senso de proteção dela é diferente do que a gente tá acostumado. Se você tá procurando um romance cheio de abraços e amorzinho, sai fora. Não tem aqui.

Um estudo em Charlotte é sobre mente inteligente, investigação e sentimentos camuflados em proteção. A Charlotte é uma personagem incrível demais e tenho certeza de que no fundo, ela ama mais do que a gente imagina.

O James entende isso também, embora na maioria das vezes ele pareça ranzinzo. Enquanto quer um pouco de atenção, ele se dói, mas quando é pra bancar o leal, não tem pra ninguém. Inclusive, uma coisa bacana é que o livro é praticamente todo narrado pela visão dele. Isso nos mostra o crescimento do personagem e da sagacidade dele, porque no começo, embora ele seja extremamente inteligente, dá pra perceber que ainda não acompanhava o ritmo da Holmes. No final, enquanto ele tá meio “indisponível”, a Charlotte que narra o que aconteceu naquele período.

Como um bom livro investigativo, não posso contar o que eles vão descobrindo porque seria um spoiler atrás do outro, né? Então vou partir para as minhas considerações sobre o desenvolvimento da obra e dos personagens.

Eu confesso que desconfiei de uma pessoa que não tinha NADA a ver com a parada. O rolê tava acontecendo de um lado e eu estava viajando do outro, completamente alheia ao verdadeiro vilão. Eu ADORO quando isso acontece, porque amo me surpreender com um livro.

Os personagens são maravilhosos, você consegue ver cada um deles na sua cabeça e visualizar exatamente o que a autora quis mostrar. É um livro inteligente pra caramba, porque se você piscar e ler algo mais rápido, fica difícil acompanhar aquele pensamento linear de uma investigação desse nível. Dá pra perceber o estudo dos casos de Sherlock e a forma como ele era desenvolvido.

Aliás, isso é um fato interessante, os casos que vão acontecendo no livro, o assassinato, um ataque à uma estudante, tudo acontece baseado em contos originais do Sherlock. Então você se vê dentro desse roteiro, tentando encontrar semelhanças e possibilidades.

A Lena é, sem dúvidas, uma personagem incrível. A menina é a colega de quarto da Holmes e, gente, ela topa tudo. É uma menina super rica e bem humorada, que deixa a Holmes fazer uns experimentos bem loucos e nem faz perguntas. Pensa numa mina DIVA. E o legal é que ela é o OPOSTO da Holmes e isso faz um balanço hilário na amizade.

De resto, esse é um excelente livro, eu terminei às duas da manhã já querendo pegar o segundo. Um estudo em Charlotte não deixa nada a desejar, desde grandes enigmas até uma capa bonita. A qualidade gráfica é sem palavras!

Sem grandes delongas, indico que o universo leia esse livro. Amei mesmo. Em breve venho contar pra vocês sobre o segundo livro da série e também como estou ansiosa para ter mais. E Rocco, já vou fazer camiseta, boné e bolsa com a Charlotte estampada para sair por ai. Por favor, me ajude. Manda mais.

Nos vemos em breve.

Share:

author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *