Olá pipoqueiros, turubom?

Quem tava com saudade de falar de livro legal, levanta a mão? o/

Hoje vamos conversar sobre o livro A troca, o lançamento da Intrínseca e da autora de Teto para dois (que tem resenha aqui, ó). Beth O’Leary é a nossa nova queridinha e já mostrou que sabe o que tá fazendo ao escrever romances fofos.

Lembrando que o livro A troca é o exemplar de 2 anos do Clube Intrínsecos e estará nas livrarias em edição normal a partir do próximo mês (e a capa é um luxo!).

A Editora Intrínseca entrega mais uma obra com diagramação impecável, capa linda, num tom de rosa escolhido pelos assinantes.

O livro

Em A troca, temos a história intercalada de Eileen Cotton e Leena Cotton, avó e neta, respectivamente. Eileen é uma senhora de 79 anos com alma de jovem, que está tentando superar o fato do marido ter largado o casamento para fugir com uma outra mulher. No fundo, ela só quer um novo amor para chamar de seu.

A Leena, tem o namorado dos sonhos e o emprego incrível que sempre sonhou. Ela é totalmente workaholic, dedicada ao extremo, mas desde que perdeu sua irmã para o câncer, parece que nada entra no eixo de verdade.

As duas decidem que precisam mudar de ares.

A neta foi forçada a tirar férias do trabalho e decide sair de Londres para visitar a avó na pequena vila de Hamleight em Yorkshire. Enquanto isso, a Eileen tá de olho nos solteiros da cidade (que são poucos) e procurando alguém para compartilhar a vida. Estar em Londres parece tão irreal e irresistível que no fundo, ela nem pensa duas vezes nisso. Quando as duas percebem, já trocaram de lugar e de casa, vivendo cada uma num paralelo diferente.

O livro é narrado em capítulos alternados, mostrando a realidade da Eileen e da Leena. Leena tem um humor horrível, não se dá bem com a mãe, parece uma adolescente ranzinza. Já Eileen tem uma alma tão jovem e aberta que é até gostoso de ver.

Representatividade

Vale falar da perspectiva de uma idosa, a visão de uma mulher no auge dos seus 79 anos num livro de romance, é incrível. Ela vive romances fugazes, ficadas ocasionais, transa e se diverte. Tem ótimos conselhos e é super querida. Ela é empática e maravilhosa. Ao mesmo tempo, temos a noção de como os idosos se sentem solitários, a visão de uma cidade enorme que abandona os seus, não é legal de se ver. A gente começa a repensar várias coisas… e o inevitável: estamos envelhecendo, e aí?

Minha nossa, mas a Leena vive um romance de merda, desculpem a palavra. O que ela acha que é um super amor e até justifica o tempo inteiro as ações do namorado, fica claro que é super tóxico. E o pior, é real, acontece o tempo inteiro.

Mesmo mal humorada, Leena é uma personagem verdadeira. Ela tem as dores e culpas, tem todas as cicatrizes que o tempo já lhe deu. E acho lindo que ela se dedica e aprende.

No mais, não vou ficar contando todos os spoilers. O livro tem representatividade, tem amor, tem emoção. Mais uma obra da autora que eu amo de paixão e já favorito.

Em A troca, não vamos falar só de trocar de casa, falamos de troca de perspectiva. De empatia. De se encontrar e achar o seu lugar no mundo.

Quem ainda não leu, corre, já já tá nas livrarias.

E quem já leu, vem bater papo comigo sobre o que achou.

Até breve.

 

 

Share:

author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *