Salve salve, pipoqueiros!

Vim hoje trazer a palavra do repórter e escritor Chico Felitti.
Maaaas, primeiro de tudo, gostaria de contar como que eu adquiri esse livro. Na Bienal de 2019 no RJ, trabalhei no estande da Editora Rocco e as vésperas do último final de semana o youtuber e influenciador Felipe Netto postou em suas redes sociais que faria uma ação no sábado (07/09) como uma forma de protesto pela censura de uma HQ da Marvel que o prefeito da cidade afirmou que havia “conteúdo inapropriado” por uma cena de beijo entre os super-heróis.
Esse protesto consistiu em distribuição de livros com temática LGBTQIA+ na Praça Central do Riocentro que o próprio youtuber comprou das editoras participantes do evento. Horas antes da distribuição, eu estava no estande da Editora Todavia com meu amigo debatendo o quão incrível foi essa iniciativa e olhei de relance esse livro, acho que até chegamos a comentar sobre a história dele. Na minha hora de almoço, fiquei na fila com um outro grupo de amigos livreiros e consegui pegar a esperada recompensa. Para a minha alegria, era Ricardo e Vânia, a história real de amor que não acabou com o habitual “Felizes para sempre”.

Chico Felitti sempre teve curiosidade em saber mais sobre a vida de uma das figuras mais emblemáticas da capital de São Paulo. Conhecido como Fofão da Augusta, Ricardo Correa da Silva foi um maquiador e cabeleireiro bem glamuroso na década de 1980-1990, que chegou a ser considerado o favorito de muitas subcelebridades e globais daquela época. Ricardo era bem reservado em relação a sua vida, sempre caladão e não dando muitas pistas de quem realmente era. Isso acabou instigando Chico e aguçou seu faro jornalístico a ponto de correr atrás de várias pessoas do passado de Ricardo e visitar sua antiga casa em Araraquara, interior de São Paulo. A aparência de Ricardo não agradava muitas pessoas porque durante anos aplicava silicone industrial em diversas partes do corpo e seu rosto foi o mais danificado. Acabou sendo marginalizado pela sua estética e não foi poupado de críticas pesadas de pessoas extremamente maldosas, mas graças ao impecável trabalho de Chico podemos finalmente enxergar a verdadeira face de Ricardo.
Em diversos momentos fiquei emocionada lendo essa história, entre relatos e conversas de pessoas que foram próximas de Ricardo senti a admiração e sentimento de impotência da parte desses personagens em querer ajudar e o não saber lidar com a situação em que ele se encontrava. Perto dos seus 70 anos, essa figura ainda vagava na Augusta distribuindo panfletos, as vezes recebendo um sorriso e outras vezes sentindo o olhar discriminatório de indivíduos que nem imaginam o que ele passou.
Quem vai ser a peça crucial para podermos enxergar Ricardo é Vânia, seu verdadeiro e único amor.

Na época era conhecida por Vagner, um jovem promissor que bate na porta de um salão de beleza, na capital de São Paulo, em busca do seu primeiro emprego formal. É nesse cenário que o casal se conhece. Vânia se encontra agora em Paris e é pra lá que o Chico vai para enfim juntar as peças desse quebra-cabeça.
Não me estenderei e nem darei muitos detalhes, porque eu quero muito que você leia essa incrível história que parece mais um filme de ficção. Eu lembro de ter lido um trecho onde o autor fala que essa é uma história de amor … Concordo com essa afirmativa, mas acrescento que ela também tem uma pitada de melancolia e um desserviço que a nossa sociedade teve com uma figura que se tornou uma espécie de patrimônio cultural imaterial brasileiro.

Com todo o respeito e sensibilidade, Chico Felitti consegue captar a essência da história desses dois indivíduos fundamentais na contribuição da história LGBTQI+ Brasileira. Infelizmente, Ricardo acabou nos deixando devido a uma parada respiratória em dezembro de 2017. Gostaria muito de tê-lo conhecido a tempo, mas moro do Rio de Janeiro e pouquíssimas vezes fui a São Paulo. Me senti extremamente acolhida com a escrita do autor e consegui me transportar para os cenários que foram descritos pelas entrevistas concedidas ao Chico.
Ah, e um apelo, existem muitas histórias de pessoas reais e incríveis aqui no nosso país. Vamos dar uma chance e experimentar esse gênero do tipo biográfico que contém relatos e conversas de vivências nacionais.

Até a próxima!!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *