Salve salve, pipoqueiros!

A editora intrínseca nos mandou o mais recente quadrinho traduzido de Jeff Lemire. Sou muito fã do trabalho dele e de como ele consegue criar dramas em suas obras. Esse é o volume 1 do encadernado das cinco primeiras revistas do quadrinho.

Royal City é o nome da cidade onde vai se passar toda a história. Logo de cara nos deparamos com um grave acontecimento: Peter Pike, o patriarca da família Pike, tem um derrame e está em coma. Essa situação acaba trazendo de volta à cidade um de seus filhos, o Pat Pike.

Além desse acidente, nos deparamos um cinco figuras (as mesmas da capa) que todas são a personificação de Tommy Pike. Não sabemos exatamente o que aconteceu com o Tommy, só sabemos que ele não está mais entre nós. Como se fosse um fantasma, ele aparece em diferentes facetas para cada membro da família Pike. Seja uma criança, um padre ou um adulto inconsequente.

Considerado o filho mais afastado fisicamente da família, Pat Pike é um escritor que está com um bloqueio mental para escrever seu próximo livro. Ele é muito cobrado pela editora e o seu relacionamento também não está indo tão bem.

A matriarca da família Pike, Patrícia Pike, claramente é ligada as cobranças que faz aos filhos, ela me pareceu bem controladora. Tara Pike, uma das filhas de Patrícia e Peter, é corretora de imóveis e quer a todo custo negociar a fábrica local para um novo atrativo turístico para Royal City. O que não esperávamos era que seu próprio marido trabalha nessa fábrica. Soube logo de cara que ela não gosta de perder.

E, por último, Richie Pike. Ele também trabalha na fábrica, mesmo não sendo o funcionário ideal. Richie acumula muitas dívidas e é alcoolista. Ele é considerado o “problema” da família, sem rumo.

Esses fantasmas que assombram os membros da família Pike nos mostram a complexidade de cada personagem. Poderia ficar horas imaginando os destinos de cada um, mas o Jeff com certeza fará melhor.

Achei muito diferente essa dinâmica. Royal City ainda tem muito a explorar e milhares de caminhos a seguir. A atmosfera da cidade é bem claustrofóbica. Entendo completamente o receio de Pat de voltar às origens.

O final é de chacoalhar a cabeça. Estou ansiosa pelo próximo volume!

Até a próxima!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *